Conversas de Coaching

Um conselho que ninguém vai te dar


O aumento da produtividade e a excelência são cada vez mais almejados nos dias de hoje em qualquer atividade, seja estudo, trabalho ou até mesmo nas tarefas mais triviais do dia a dia.

Em princípio, tudo que envolve dedicação e disciplina são desafiadores, porque em geral não adianta esperar ter vontade para começar a fazer o que se propôs a fazer. A vontade simplesmente não vem. Nosso cérebro é muito bom para economizar energia e tudo que envolva gasto, ele transforma em preguiça, em "deixa para amanhã, depois eu faço". Cabe a você virar este jogo.

Saiba que não adianta esperar pela vontade ou acreditar que sem ela não dá para fazer nada. É preciso fazer sem vontade mesmo. Por isso é tão difícil começar uma atividade. O que deve te motivar e nortear é o resultado final que se quer. Quase sempre temos que fazer coisas que não gostamos muito para conquistar o que desejamos. “Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando meu machado.” Abraham Lincoln Conta-se a história de um jovem lenhador, forte, ambicioso, ansioso para mostrar sua grande habilidade em derrubar árvores. Certo dia desafiou o campeão da firma, um senhor bem mais velho, a um concurso para ver quem derrubava mais árvores em um dia de trabalho.

O jovem cortador começou atacando árvore após árvore com uma fúria jamais vista entre lenhadores. O velho cortador também se aplicava à sua tarefa com toda a perícia que os anos de experiência haviam lhe concedido. Mas o jovem deu risada quando lhe contaram que o velho lenhador parava para descansar de tempos em tempos debaixo de uma árvore na floresta. “É vitória certa para mim” pensou o jovem lenhador.

Qual foi a surpresa quando, no final do dia, o jovem ofegante encontrou o velho lenhador tranquilo, e com duas vezes mais árvores cortadas que ele. Foi então que descobriu que em cada período de “descanso”, o velho e experiente lenhador estava afiando machado. Esta história ilustra bem uma importante lição para quem está com um desafio à sua frente: o equilíbrio que deve existir entre o preparo e o esforço em si.

Afiar o machado é o tempo que investimos nos preparando, nos aprimorando, e isso tudo envolve esforço e descanso, disciplina e lazer, tempo para preparo e para não fazer nada. Afiar o machado nos deixa mais produtivos e mais perto da excelência.

Se você é do tipo que quando vê pessoas caminhando no parque ou na rua e pensa que estão perdendo tempo, saiba que estão afiando o machado. Quem lê um livro de ficção ou uma história em quadrinho também. Quem para por um ou dois minutos, fecha os olhos e respira profundamente, também. O machado é tudo aquilo que faz de você ser quem você é, portanto, para uma melhor afiação lembre-se das quatro áreas essenciais do ser humano: física, espiritual, emocional, intelectual. Todas devem ser afiadas.

No livro Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, de Stephen Covey, o hábito número 7 trata exatamente disso: Afinar o instrumento. Todos nós precisamos parar para afiar o machado e assim cortar melhor, mais rápido e com menos esforço.

Aprendizado é um processo que envolve esforço, requer descanso e que o machado esteja bem afiado. O tempo que você aplicar afiando o seu será uma importante vantagem competitiva para realizar seus objetivos.

Aproveite agora e escreva uma lista com algumas formas de afiar seu machado e inclua na sua rotina.

Fica aqui meu convite: experimente. Não basta ler. É preciso praticar.

​© 2014 por Cibele Nardi

Cibele Nardi Escritório de Coaching

São Paulo - SP

  • White YouTube Icon
  • Instagram - White Circle
  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • LinkedIn Limpa