• Cibele Nardi

5 Práticas para Construir Resiliência



Resiliência é ser capaz de se recuperar bem do estresse, desafios, tragédias, crises ou qualquer tipo de adversidade, contratempos e mal entendidos. A grande notícia é que a resiliência é uma habilidade que pode ser desenvolvida e aprimorada.

Há coisas que não podemos mudar: por exemplo, adversidades sempre estarão presentes em nossas vidas. O que podemos fazer é nos fortalecer para lidar melhor e até tirar proveito das situações difíceis que enfrentamos todos os dias por meio da resiliência.

Diante das adversidades, alterações fisiológicas são iniciadas pela parte do cérebro mais primitiva (a amígdala) a fim de nos preparar para lutar ou fugir. A resiliência está relacionada com a capacidade de ativar outra parte do cérebro mais sofisticada (o córtex pré-frontal) e "acalmar" a amígdala. Quando isso acontece, expandimos nossa capacidade de recuperação e adaptação e conseguimos encontrar uma solução mais adequada para o desafio ou a adversidade.

Diante das adversidades, podemos ficar irritados, ressentidos, agressivos, estressados ou ficamos desapontados, nos isolamos e ficamos na posição de vítima, sem ação. É importante reconhecer e observar suas reações e padrões de comportamento quando as demandas parecem superar sua capacidade de lidar com elas. E por incrível que pareça, se tornar mais resiliente não significa tirar os problemas do caminho ou evitar as adversidades. Significa aproveitar as experiências do dia a dia para se aprimorar, exercitar e nutrir sua resiliência.

Então, como construir mais resiliência na prática?

  1. Busque uma pessoa próxima e de confiança que dê apoio e esteja presente nas situações de crise. Muitas vezes temos a ideia de que ser corajoso é se virar por conta própria. Ser corajoso e forte significa saber quando pedir ajuda.

  2. A resiliência se desenvolve por meio dos relacionamentos. Criar e manter relacionamentos confiáveis e ​de apoio é uma forma de compartilhar experiências e aprender uns com os outros.

  3. Pratique atenção plena. Assim fortalecemos o córtex pré-frontal, mais tranquilo e racional, e reduzimos a atividade da amígdala, instintiva e impulsiva. Atenção plena pode ser praticada nas atividades cotidianas, ao lavar a louça, comer um chocolate ou levar o cachorro para passear.

  4. Reconheça suas forças. Lembre-se das situações difíceis que enfrentou e que foi bem sucedido. O que você fez e que funcionou bem? Aprecie sua experiência e se alimente com os recursos que você já tem e talvez não se dê conta.

  5. Cultive o otimismo. A ideia é focar no que podemos controlar e buscar alternativas, ao invés de ficar decepcionado com o que foi perdido ou se lamentar pelo que falta. O que podemos fazer num dia chuvoso que provavelmente não faríamos se estivesse ensolarado?

E acima de tudo... Seja gentil com você mesmo. Confie na sua capacidade de lidar com as adversidades e aproveite as situações estressantes para fortalecer ainda mais sua resiliência.

Adaptado de HeySigmund.com

#comunicação #equilíbrio #gestão

17 visualizações

​© 2014 por Cibele Nardi

Cibele Nardi Escritório de Coaching

São Paulo - SP

  • White YouTube Icon
  • Instagram - White Circle
  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • LinkedIn Limpa